Conheça o significado das principais tradições do casamento

O mundo conserva as suas tradições e conta com as mais diferentes culturas e credos para preservá-las. É encantador observar como cada povo lida com seus sentimentos, comemora suas vitórias e realiza uniões entre pessoas que se amam.

Como toda celebração, o casamento tem as suas tradições particulares e simbologias características. Práticas e costumes tão antigos e, ao mesmo tempo, tão atuais, que enfrentam o passar dos anos sem perder a importância e o espaço dentro da celebração do amor.

Como as tradições do casamento estão cada vez mais presentes, reunimos a maioria desses costumes para que você conheça o significado de cada um deles. Desde os mais famosos até os mais tradicionais, entenda o motivo de cada um e inspire-se para trazer sorte ao grande dia!

Tradições do casamento: conheça seus significados

As  tradições e os costumes são repassados através das gerações, por essa razão, muitas vezes, não sabemos a origem de coisas que se tornaram usuais, simplesmente porque existem há muitos anos e fazem parte da história ou memória afetiva das pessoas.

Entretanto, buscar conhecer de onde esses hábitos vieram, ou ainda quais valores estão unidos a eles e à sua preservação, além de ser uma forma de consagrar tais práticas, é uma oportunidade de se conectar com o passado e com raízes sentimentais que podem tornar a sua cerimônia muito mais emocionante. Veja, a seguir, de onde surgiram algumas das principais tradições do casamento.

Marcha nupcial

Quando se fala em casamento, a música mais presente é a conhecida marcha nupcial, que conta com sons marcantes e imponentes. A maioria das pessoas não sabe, mas existem duas versões conhecidas da música e ambas são originárias de espetáculos teatrais. Uma faz parte da peça Lohengrin, composta por Richard Wagner, e a outra, de Sonho de uma noite de verão — escrita por William Shakespeare — desenvolvida por Felix Mendelssohn.

As marchas começaram a se popularizar depois que a princesa Vitória da Inglaterra utilizou as duas em seu casamento real. Ainda hoje, esse é o costume seguido em cerimônias mais tradicionais. Há quem diga que as marchas não deveriam ser utilizadas em casamentos. A de Mendelssohn, inclusive, é vetada em algumas igrejas, por ter sido feita para a peça de Shakespeare que narra uma história pagã.

Vestido branco

Além da música, outra influência da Rainha Vitória nas tradições de casamento ocorreu em relação ao vestido da noiva. Naquela época, as moças usavam vestidos em cores fortes para se casarem, como o vermelho ou dourado. Mas ela queria algo próprio, que refletisse sua alegria e satisfação por aquele acontecimento e, por isso, optou pelo branco.

Vale ressaltar que o casamento de Vitória com o príncipe Alberto, segundo a história, foi o primeiro entre a nobreza a acontecer por amor. Inspiradas pelo sentimento, diversas noivas passaram a usar o vestido branco e assim se deu início a essa tradição.

Véu e grinalda

A tradição do véu é outro costume que tem origem na antiguidade. Naquele tempo, as noivas, principalmente do território europeu, se cobriam com véus no dia do casamento para que nenhum homem pudesse enxergá-las ou cobiçá-las da mesma maneira que o noivo.

Já a grinalda era uma espécie de coroa que as noivas usavam sobre a cabeça, com tiaras, flores ou presilhas. Começou a ser usada para destacar e diferenciar as noivas das outras convidadas. Era também sinônimo de poder, pois quanto maior e mais brilhante o adorno fosse, superior era o status da família da moça que estava se casando.

Troca de alianças

Os anéis começaram a ser usados como símbolos do casamento no Egito. O significado da aliança tem total relação com o seu formato redondo, pois não possui início e nem fim, assim como deve ser o amor entre o casal.

Após invadir o território egípcio, Alexandre, o Grande, “importou” o hábito para a Grécia. Como os gregos acreditavam existir ligação direta entre o coração e o dedo anelar da mão esquerda, uniram a concepção da veia  com a simbologia egípcia do anel. A tradição foi adotada também pelos romanos e, depois, pelo próprio Vaticano e, consequentemente, pelas igrejas.

Arroz de festa

A tradição de arremessar arroz no casal vem da Ásia, onde, em geral, o grão é sinônimo de prosperidade. Trata-se de um costume que se originou precisamente em um casamento na China, sendo repassado mundo afora, pois jogar arroz sobre os noivos é considerado como uma forma de desejar a eles sorte, fartura e abundância.

Buquê de flores

Uma tradição que vem desde o início das civilizações grega e romana, mas que começou de forma um pouco diferente. No lugar das flores que usamos atualmente, os buquês das noivas eram compostos por ervas frescas, com o intuito de afastar os maus espíritos e atrair boas energias.

A partir do século XIV, os franceses adaptaram o costume e passaram a fazer os buquês com flores. Inclusive, nesse período  começou a tradição de jogar o buquê para as moças solteiras e descobrir quem será a próxima a se casar.

Bolo de casamento

Em regra, pensamos que o bolo é apenas uma iguaria saborosa para oferecer aos convidados, não é mesmo? No entanto, esse delicioso doce também tem um significado dentro das tradições do casamento.

Na antiguidade, era usado de uma forma um tanto quanto peculiar. Eram feitos pequenos bolos com mel e trigo que eram esfarelados e jogados sobre a noiva para trazer sorte. Nesse caso, mais uma vez, os franceses adaptaram essa tradição e passaram a servir o doce aos convidados nas festas, para a alegria e alívio das noivas.

Padrinhos e madrinhas

Em nosso país, é costume que os noivos escolham padrinhos e madrinhas para a cerimônia. Já em lugares como os Estados Unidos, por exemplo, são apenas as moças, que são chamadas de damas de honra. A origem desse costume vem da antiguidade, quando as madrinhas ou damas eram as responsáveis por ajudar a noiva a se vestir e os padrinhos viravam testemunhas dos casamentos perante a sociedade, que eram, muitas vezes, arranjados pelas famílias.

Despedida de solteiro

No dia anterior ao casamento, os noivos costumam sair com os seus amigos, enquanto as noivas fazem o mesmo com as suas amigas. Essa tradição é bastante antiga e veio da Grécia. Quando os soldados espartanos, por exemplo, decidiam se casar, aproveitavam o dia anterior para comemorar com os seus amigos e se despedirem da solteirice.

Tradições do casamento: entenda as superstições

Quem nunca ouviu a frase “não passe a vassoura nos pés; senão, você não vai casar”? As mães, avós e tias sempre têm diversas superstições e, por mais que sejam situações pouco prováveis, você não as ignora.

Com os casamentos, não poderia ser diferente. Por isso, existem algumas superstições para atrair vibrações mais harmoniosas. Listamos algumas delas para que você possa se preparar. Confira a seguir.

  • usar algo velho, novo, emprestado e azul: a coisa velha simboliza o passado; a nova, o otimismo; a emprestada, a felicidade partilhada pelo casal; e a azul, a fidelidade e o amor eterno;

  • nota de dinheiro colada no sapato da noiva: essa superstição consiste em colar uma nota, de qualquer valor, abaixo da sola do sapato direito da noiva – reza a lenda que esse ato faz com que o casal nunca passe por dificuldades financeiras ao longo do matrimônio;

  • entrar com o pé direito na igreja (ou no local onde será realizado o casamento): essencial na cerimônia, tanto para a noiva como para o noivo, pois é sinônimo de sorte e longevidade para a relação;

  • damas de honra: a tradição afirma que as meninas ou mulheres que entram na igreja antes da noiva espantam os maus espíritos;

  • cortar, juntos, o bolo de casamento: quando o noivo e a noiva cortam juntos o bolo, eles reforçam os votos das alianças, ou seja, naquele momento eles assumem uma vida única de amor e respeito – além disso, para valorizar a fertilidade, a noiva deverá comer o primeiro pedaço.

Você imaginava que todas essas simbologias e tradições do casamento tinham origens tão peculiares? Conhecê-las é um meio de compreender os motivos por trás de cada parte da cerimônia e, assim, amar ainda mais a pessoa que escolheu para viver e compartilhar essas experiências, inclusive, a vida.

Gostou deste post? Você conhece outra tradição do casamento que não citamos aqui? Comente no espaço abaixo e inspire outras pessoas também!

Nenhum Comentário

Comentar

×